VISITAS DE COLÉGIOS
e outros grupos

Seta Às Terças e Quintas o Observatório Astronômico Frei Rosário recebe visitas de colégios e outros grupos interessados.

SetaEstas visitas podem ser agendadas previamente na sala 3100 - Ensino de Astronomia/ICEx ou pelo telefone (31) 3409-5679,  de segunda a sexta-feira, com equipe e horários conforme definidos abaixo.

Horário Provisório: segunda de 9:30 às 11:30 e de 17:30 às 19:30, terça de 14:30 às 16:30, quarta de 9:30 às 11:30, quinta de 14:30 às 16:30 e sexta de 9:30 às 11:30,com Cristina ou Débora

SetaOs interessados devem efetuar o download da FICHA DE INSCRIÇÃO (formato.doc - clique com o botão direito do mouse e depois em "Salvar destino como..." ) e obter a boleta de pagamento. Com base nas fichas de inscrição serão preparadas aulas e o roteiro de observação para cada grupo.

SetaA entrega das Fichas é OBRIGATÓRIO para a realização da visita.

SetaApós a efetuação do pagamento e preenchimento da Ficha de Inscrição, estas deverão ser remetidas ao endereço abaixo ou entregue na sala 3100 - Ensino de Astronomia/ICEx.

Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Departamento de Física, ICEx
Observatório Astronômico Frei Rosário
Caixa Postal: 702
Belo Horizonte/MG - CEP.: 30161-970

Seta OUTRAS INFORMAÇÕES:
- Máximo de 45 alunos por turma;
- Duração média da visita (2 horas);
- Horário para à visita:

18:00h (Preferencialmente para Ensino Fundamental)
20:00h (Preferencialmente para Ensino Médio).

Seta PROGRAMAÇÃO:
- Conhecer o Observatório;
- Aulas com Recursos Multimídia;
- Reconhecimento das Constelações;
- Observações por Telescópios Amadores e Profissionais.


VISITAS DE COLÉGIOS AO OAFR
Matéria do jornal HOJE EM DIA, suplemento PROGRAMINHA, publicada em 18/04/99


MISTÉRIOS DE ESTRELAS E PLANETAS FASCINAM CRIANÇAS
Maria Tereza Costa - Repórter
H. Nicoline - Fotógrafo

      Já pensou ver bem pertinho as crostas da lua ou o lugar onde moram e nascem as estrelas? Não? Então comece a pensar. É que o Observatório da Serra da Piedade está recebendo visitas de escolas interessadas em conhecer e utilizar equipamentos astronômicos amadores e profissionais. Através de um super telescópio, dá pra ver detalhes e curiosidades sobre os planetas, nebulosas e aglomerados de estrelas!
      Os alunos da 4ª série do Colégio Santa Dorotéia não perderam tempo. A visita aconteceu na semana passada e teve até gente que decidiu virar astrônomo... Tudo começou com uma palestra prá lá de divertida (e com direito a recursos de multimídia) do professor Renato Las Casas. Com a ajuda de retro-projetor, ele conta a história e a evolução dos telescópios, desde Galileu Galilei até o Telescópio Espacial Hubble.

Alunos observam lentes semelhantes às usadas por Galileu Galilei

      Em seguida a turma é dividida em duas. Uma parte observa o céu através de telescópios amadores e a outra vai para o andar de cima... Lá fica o segundo maior telescópio profissional do Brasil. Um a um, todos podem dar uma espiada. Patrícia Resende de Paiva, 10 anos, contou que sempre se interessou pelos mistérios do espaço e disse que estava realizando um sonho.
      Você também pode aproveitar a visita para fazer aquelas perguntas que sempre teve vontade. Bruna de Souza Araújo, 10 anos, ficou impressionada quando o professor avisou que Marte está se aproximando da Terra a uma velocidade superior a 1,5 milhão de quilômetros por dia! Calma lá! Ninguém precisa ficar preocupado. Isso acontece de tempos em tempos e não significa que Marte vá se chocar com nosso planeta. "Significa apenas que esse é um ótimo momento para observação e estudo", explicou o professor.

Lucas Baeta, fascinado, observa a Nebulosa de Órion

Como se tornar astrônomo
      Astrônomo é o profissional que estuda os fenômenos físicos, as características dos astros e estrelas e suas conseqüências na Terra.
      Quem quiser seguir a carreira, tem que prestar vestibular para o curso de Física, com duração de quatro anos, e depois fazer um Mestrado (dois anos) ou Doutorado(quatro anos) em Astronomia. Todos esses cursos são oferecidos pela Universidade Federal de Minas Gerais.
      O professor Renato Las Casas garante que é uma profissão fascinante. Mas se o seu objetivo é ganhar dinheiro... Pode tirar essa idéia da cabeça. "Astrônomo ganha muito pouco", revelou o professor.

José Francisco ensina que é preciso olhar com cuidado

Puro encantamento
      O momento mais emocionante da visita é a observação da "Nebulosa de Órion". Para quem não sabe, nebulosa é uma nuvem de poeira e gás no interior de uma galáxia. Ela se torna visível se o gás brilha ou se uma nuvem reflete a luz das estrelas. A nebulosa de emissão brilha, porque seu gás emite luz quando é estimulado pela radiação das estrelas jovens e quentes. Existem vários outros tipos de nebulosa.
       José Francisco Lemos, 10 anos, ensina que é preciso olhar no visor com muita paciência."Quanto mais calmo e atento você estiver, mais detalhes vai perceber", falou. Ele viu uma espécie de "fumaça" e quatro enormes e brilhantes estrelas idênticas a pequenos diamantes. "Fiquei maravilhado".
      Luis Fernando Pessoa, 10 anos, também se encantou com o "ninho" de estrelas. Já Lucas Alves de Brito Baeta, 10 anos, confessa que ficou decepcionado. "Achei que fosse ver muitos planetas", falou. Mas Daniel Machado Coelho, 10 anos, jura que viu Marte num dos telescópios amadores. "É um monte de bolinhas meio amareladas", descreveu.

Luís Fernando era um dos mais entusiasmados


Redação
      Quando desci do ônibus para caminhar até o observatório, senti uma sensação estranha - emoção, alegria, um frio na barriga... Sem falar mo medo da estrada (lá embaixo tem um despenhadeiro...).
      O frio estava de lascar. Parecia que a gente estava em outro pais, do outro lado do Equador. O mais forte dos sentimentos era a "insegurável" ansiedade.
      Depois de um breve lanche, assistimos a uma super aula com o professor Renato. Ele contou a história dos telescópios e também fez umas piadinhas. Mas o auge da emoção foi mesmo no andar de cima do observatório, onde fica o segundo maior telescópio do Brasil. Quando a enorme cúpula se abriu, apareceu um maravilhoso mundo de estrelas.
      Pra você ver, tem que subir numa escadinha e fixar os olhos no visor. A gente viu a"Nebulosa de Órion", que é o lugar onde nasce as estrelas. Ah! As estrelas, assim, aumentadas de tamanho, parecem pequenos diamantes! Quem ainda não foi lá, pode ter certeza que vai adorar. O observatório parece que fica mais pertinho do céu.

Thereza N. E Silva, tem 10 anos e é aluna do Colégio Santa Dorotéia. ]


Construa seu próprio telescópio

Você vai precisar de:

» Um tubo de PVC rígido de 2" (2 polegadas) de diâmetro e 1,05 m de comprimento, com roscas nas extremidades (Pode ser conseguido em obras como sobras da construção)
» Uma luva de 2"
» Uma bucha de redução de 2" x 1 ½"
» Uma bucha de redução de 1 ½" x ¾"
» Um niple de ¾"
» Um caps (tampa) de 2
» Um caps de ¾"
» Um par de anel de borracha de ¾"
» Um par de anel de borracha de 2"
» Uma lente de óculos de + 1,0 "grau"
» Uma lente de óculos de + 6,0 "graus"

      Os materiais de PVC e os anéis de borracha podem ser adquiridos em depósito de construção civil por um preço médio de R$ 13,00 e as lentes em óticas (lojas de óculos) por um preço médio de R$ 5,00.

A Montagem
» Pinte a parte interna do tubo de PVC de preto fosco. O objetivo é diminuir a reflexão interna da luz;
» Peça na ótica para recortarem a lente de +1,0 grau de forma que ela se encaixe no Caps de duas polegadas;
» A lente de +6,0 graus servirá de ocular e deverá ser recortada para se encaixar dentro de um Caps de três quartos de polegadas entre os anéis de borracha de polegada;
» Essas aberturas, assim como as roscas das extremidades do tubo podem ser facilmente feitas em uma oficina de bombeiro hidráulico ou de tornearia a um preço médio de R$ 5,00
» Em uma das extremidades do tubo, colocamos o Caps de duas polegadas coma objetiva. Na outra extremidade adaptamos as conexões e o Caps de três quarto de polegada com a ocular em seu interior. As conexões permitirão possíveis ajustes do foco.