TELESCÓPIOS

Prof. Renato Las Casas e Divina Mourão (29/03/99)

 

LENTES

 

Vermos as coisas do céu pode ser considerado um luxo, comparado com a necessidade de vermos bem as coisas da Terra. Isso explica porque lentes para ajudar idosos em suas leituras surgiram, na Europa, no século XIII, muito antes do primeiro telescópio que só surgiu no século XVII.

 

O PRIMEIRO

 

A luneta de Galileo

 

A primeira combinação de lentes em um instrumento "tipo telescópio" foi feita na Holanda em 1608, destinada à melhor visualização de óperas. No ano seguinte, Galileo Galilei, tendo tomado conhecimento desse invento, modificou-o, tendo para isso de construir ele próprio as suas lentes. Estava assim inventado o telescópio refrator, composto por duas lentes na extremidade de um tubo de couro. A lente voltada para o objeto observado recebe o nome de objetiva e a lente voltada para o olho do observador recebe o nome de ocular.

 

Um telescópio refrator moderno

 

OUTRA IDÉIA

 

Já em 1616 havia a idéia de se construir um telescópio utilizando um espelho côncavo para fazer o papel da lente objetiva dos telescópios refratores. O problema que se apresentou aí e não teve solução imediata, foi como poder ver a imagem formada na frente do espelho sem bloquear a chegada da luz nesse.

 

NOVO TIPO

 

O telescópio de Newton

 

Esse problema foi solucionado em 1668 por Isaac Newton, utilizando para isso um segundo espelho, plano, colocado à frente do espelho côncavo, desviando a imagem formada lateralmente ao tubo do telescópio, por onde então é feita a observação. Estava assim inventado o telescópio refletor, onde o elemento óptico principal é um espelho. Ainda hoje o tipo de telescópio inventado por Newton (Newtoniano) tem sido o mais usado na astronomia amadora.

 

Um telescópio newtoniano moderno

 

OS ATUAIS

 

A partir daí, ainda hoje, vários detalhes têm sido incorporados a esses dois tipos de telescópios, objetivando a obtenção de melhores imagens e facilidades de observação. Quase todos os telescópios profissionais atuais são reflectores, porém, com uma modificação proposta em 1672 por um francês de nome Cassegrain. No telescópio Cassegraniano a imagem é formada atrás do espelho principal; isso graças ao espelho secundário, convexo, que reflete a luz que lhe incide, para trás do espelho principal, passando por um orifício em seu centro.

 

Um telescópio cassegraniano moderno

 

FAMOSOS

 

O telescópio de Monte Palomar (EUA/Califórnia) foi o maior (5 m de diâmetro) e mais importante telescópio do mundo desde 1949, quando entrou em operação, até o início da presente década. Em 1993 foi inaugurado o telescópio Keck de 10 m de diâmetro em Mauna Kea (EUA/Havaí), ainda hoje o maior do mundo. O primeiro telescópio moderno brasileiro foi o da UFMG na Serra da Piedade, inaugurado em 1972 (0,6 m de diâmetro). Em 1980 entrou em funcionamento o atual maior telescópio brasileiro (1,6 m de diâmetro), localizado no Pico dos Dias, município de Brasópolis (MG). O telescópio Hubble, colocado em órbita em 1990, longe de ser o maior telescópio já construído (2,40 m de diâmetro), é sem dúvida o mais importante da atualidade, isso devido ao fato dele estar localizado no espaço; a luz que chega a ele não sofre interferências da atmosfera da Terra.

 

O maior telescópio refrator do mundo, com objetivade 1 metro de diâmetro,

instalado no Observatório de Yerkes

 

O maior telescópio do mundo (Keck), com espelho de 10 metros de diâmetro,

instalado no Observatório de Mauna Kea, Havaí

 

O maior telescópio brasileiro, com espelho de 1,6 metros de diâmetro,

instalado no Laboratório Nacional de Astrofísica, Brasópolis-MG



COMO CONSTRUIR UM TELESCÓPIO REFRATOR UTILIZANDO MATERIAIS DE BAIXO CUSTO FACILMENTE ENCONTRADOS NO COMÉRCIO E COM ELE OBSERVAR AS CRATERAS DA LUA E OUTRAS COISAS MAIS

 

Materiais utilizados:

» Um tubo de PVC rígido de 2" (2 polegadas) de diâmetro e 1,05 m de comprimento, com roscas nas extremidades (Pode ser conseguido em obras como sobras da construção)
» Uma luva de 2"
» Uma bucha de redução de 2" x 1 ½"
» Uma bucha de redução de 1 ½" x ¾"
» Um niple de ¾"
» Um caps (tampa) de 2
» Um caps de ¾"
» Um par de anel de borracha de ¾"
» Um par de anel de borracha de 2"
» Uma lente de óculos de + 1,0 "grau"
» Uma lente de óculos de + 6,0 "graus"

Os materiais de PVC e os anéis de borracha podem ser adquiridos em depósito de construção civil por um preço médio de R$ 13,00 e as lentes em óticas (lojas de óculos) por um preço médio de R$ 5,00.

A Construção:

O tubo de PVC servirá de corpo para o telescópio. Deverá ser pintado internamente de preto fosco, objetivando diminuir a reflexão interna da luz.

A lente de + 1,0 "grau" servirá de objetiva e deverá ser recortada para se encaixar dentro do caps de 2", entre os anéis de borracha de 2" (que servirão de apoio, evitando o contato direto do cano com a lente).

A lente de + 6,0 "graus" servirá de ocular e deverá ser recortada para se encaixar dentro do caps de ¾", entre os anéis de borracha de ¾".

O caps de 2" deverá ter uma abertura de 25 mm aproximadamente, para captar a luz do objeto que se deseja observar e o caps de ¾" terá uma abertura 15 mm, por onde faremos as observações. Essas aberturas assim como as roscas nas extremidades do tubo podem ser facilmente feitas em uma oficina de bombeiro hidráulico ou de tornearia a um preço médio de R$ 5,00.

Em uma das extremidades do tubo, colocamos o caps de 2" com a objetiva. Na outra extremidade, adaptamos as conexões e o caps de ¾" com a ocular em seu interior. As conexões nos permitirão possíveis ajustes do foco.

Conexão para
HISTÓRIA DOS TELESCÓPIOS

 

Conexão para
TIPOS E CARACTERÍSTICAS DOS TELESCÓPIOS

 


Leia mais sobre:

 

Telescópios                              Observação