PROCURANDO VIDA EM MARTE

 

Prof. Renato Las Casas (30/04/99)

 

 

 

 

O planeta Marte há muito é associado à Vida Extra Terrestre. Não é à toa que popularmente, freqüentemente "marciano" e "E.T." têm o mesmo significado. Mesmo os cientistas sempre se ocuparam (de formas diferentes) com a questão "Vida em Marte". Desde Christian Huygens(1629-1695), um dos primeiros a observar Marte, sistematicamente, por telescópio; passando por Percival Lowell (1855 - 1924) a quem um biógrafo definiu "... de todos os homens da história que propuseram questões e respostas sobre Marte, Lowell foi o mais influente e controverso."; até os dias de hoje, cientistas têm gasto muito tempo (e verbas) estudando "Vida em Marte".

No final do século passado Lowell interpretou o que viu na superfície de Marte como grandes oásis no meio do deserto, com canais sistematicamente construídos para levar água a esses oásis. Hoje sabemos da impossibilidade de vida inteligente em Marte, mas, e vida microscópica? Já teria existido (ou mesmo, ainda existe) em Marte? Em agosto de 96, cientistas da NASA reacenderam o tema "Vida em Marte" para o grande público, ao anunciarem possíveis sinais de bactéria fóssil em um meteorito que teria origem em Marte. Cientistas, por todo o mundo, continuam estudando amostras desse meteorito, mas a dúvida permanece.

 

O "Vale Marineris" já foi confundido com canal artificial

 

Invadindo Marte

 

O planeta Terra tem invadido Marte. Essa invasão começou em 1963 com a nave "Mars 1" da URSS passando a "apenas" 190.000 km de Marte. Em 1966 a "Zond 2", também da URSS, entrou em órbita desse nosso vizinho. Em novembro de 1971 uma sonda da "Mars 2", foi o primeiro objeto feito pelo homem a alcançar o solo marciano. Logo no mês seguinte uma sonda da "Mars 3" desceu suavemente no solo de Marte. Também em 1971-72 a "Mariner 9", da NASA, em órbita desse planeta, "dissecou-o "fotograficamente".

 

A sonda "Mars Pathfinder" e seu robô "Sojouner" em operação em Marte.

 

A invasão continuou na década de 70, principalmente, com o projeto "Viking" (NASA) que colocou 2 naves em órbita e 2 sondas na superfície de Marte. Nos anos 80 apenas a URSS mandou naves a Marte, sem grandes novidades: as "Phobos 1 e 2", com o objetivo de estudar, além do planeta, a sua lua Phobos. Em 1997 a sonda "Mars Pathfinder" (NASA) alcançou o solo marciano e nele colocou um pequeno robô de rodas, o Soujoner, com a missão principal de estudar as rochas de Marte. Atualmente a nave "Mars Global Surveyor" da NASA se encontra em órbita do Planeta Vermelho, nos enviando uma quantidade de dados sem precedentes sobre sua superfície, atmosfera e magnetismo. Outras 3 naves já se encontram a caminho: a "Mars Climate Orbiter" e a "Mars Polar Lander", da NASA, e a "Nozomi", do Japão. Essa última irá orbitar Marte com o intuito de estudar sua atmosfera superior.

As questões centrais que fomentam esses quase quarenta anos de corrida a Marte continuam sendo três: a procura por evidências de vida, passada ou presente (Vida é um elemento raro ou comum no universo?); o entendimento da possível grande mudança climática sofrida por Marte em sua história (A Terra poderá se tornar desértica como Marte?); e o conhecimento de seus recursos naturais (Quais são, como e quando explorá-los?).

 

Arte: A "Mars Global Surveyor" em órbita de Marte

 

Vida é Comum?

 

Uma pergunta que todos já fizemos: "porque gastarmos tanto dinheiro (e tempo, inteligência, energia, etc) para saber se Marte teve ou tem micróbios?" Além das aplicações que tais estudos, a médio prazo, poderão vir a ter em diversas áreas tais como micro-eletrônica, medicina, etc, é importante lembrarmos que uma das grandes questões da humanidade é o entendimento da Vida. Por essa questão passa a pergunta: "Estamos sozinhos no Universo?" Que também pode ser formulada como: "Vida é um elemento raro ou comum no Universo?"

Se algum outro planeta do Sistema Solar teve vida (não importa quando e em que estágio de desenvolvimento); e se a vida na Terra e nesse planeta não tiveram uma mesma origem (meteoritos oriundos da Terra levaram vida a esse planeta, ou vice-versa) então temos um forte indício a favor da vulgaridade da vida por todo o Universo. Marte, além de ser nosso vizinho imediato e por isso de mais fácil exploração, é, do Sistema Solar, o planeta que mais se assemelha à Terra e, portanto, com maiores chances de haver abrigado vida em sua história.

 

Paisagem marciana fotografada pela sonda "Mars Pathfinder"

 

Pôr do Sol em Marte, fotografado pela sonda "Mars Pathfinder"

 

 


Leia mais sobre:

 

Marte           Vida Extraterrestre           Sistema Solar