NETUNO
O PLANETA AZUL

 

Prof. Túlio Jorge dos Santos (28/09/00)

 

 

Netuno é o oitavo planeta a partir do Sol. Encontra-se a uma distância de 4,5 bilhões de quilômetros do Sol ( ~ 30,1 UA ). Seu diâmetro equatorial é de aproximadamente 50.000 km e sua massa da ordem de 1026 kg.

Na mitologia Romana, Netuno (Posseidon para os Gregos) é o Deus do mar. Quando da descoberta de Urano por Herschel em 1781, notou-se que os parâmetros da órbita desse planeta não correspondiam aos valores esperados pelas Leis de Newton. Assim, previu-se a existência de um planeta mais distante capaz de perturbar a órbita de Urano. Netuno foi então observado pela primeira vez pelos astrônomos Galle e d'Arrest, em 23 de setembro de 1846, em posições muito próximas às calculadas por seus colegas Adams e Le Verrier, que determinaram parâmetros orbitais utilizando posições relativas de Júpiter, Saturno e Urano. A estes dois astrônomos foi creditada a descoberta do novo planeta.

Netuno foi visitado apenas uma vez por uma sonda, a Voyager 2 em agosto de 1989. Muito do que se conhece do planeta se deve a esse único encontro. Recentemente observações efetuadas por telescópios baseados em Terra e pelo Telescópio Espacial Hubble têm contribuído sobremaneira para o entendimento dos processos físicos aí presentes.

A composição química de Netuno é, provavelmente, muito parecida à de seu vizinho Urano; sua atmosfera é composta basicamente de hidrogênio e hélio e traços de metano e hidrocarbonetos como etano e acetileno. O planeta deve possuir um pequeno núcleo rochoso cuja massa deve ser próxima à da Terra.

Sua cor azul é o resultado da absorção do vermelho pelo metano em sua atmosfera, mas existem efeitos adicionais, ainda não totalmente identificados, que contribuem para a coloração azul intensa nas nuvens de sua atmosfera.

Como um típico planeta gasoso, Netuno possui ventos muito velozes confinados em bandas de latitudes e grandes tempestades. Os ventos em Netuno são os mais rápidos do sistema solar chegando a velocidades de até 2000 km/h.

Da mesma maneira que Júpiter e Saturno, Netuno também possui uma fonte interna de calor e irradia mais do dobro da energia que recebe do Sol.

Quando da visita da Voyager2, a característica mais proeminente de Netuno era a grande mancha escura no hemisfério sul do planeta. Entretanto, as observações efetuadas pelo Hubble em 1994 mostraram que a grande mancha havia desaparecido. Ela simplesmente dissipou ou foi mascarada por outros aspectos de sua atmosfera. Alguns meses depois o telescópio espacial descobriu uma nova mancha escura no hemisfério norte do planeta. Isso indica que a atmosfera de Netuno muda muito rapidamente, talvez devido a diferenças de temperatura entre as partes superiores e inferiores de suas nuvens.

Em sua missão de 1994 o Hubble fez a imagem ao lado a partir da composição de imagens tomadas em diferentes filtros de cores, no visível e no infravermelho próximo. As regiões rosadas são nuvens de cristais de gelo de metano na alta atmosfera do planeta.

Netuno também possui anéis bastante escuros como os de Júpiter e Urano, e a composição desses anéis ainda é desconhecida. Observações por telescópios baseados em Terra revelaram apenas arcos difusos, mas as imagens obtidas pela Voyager 2, mostraram os anéis por completo.

Em Netuno, o eixo magnético está inclinado de 47 graus em relação ao eixo de rotação. Além disso, o deslocamento do centro de seu campo magnético em relação ao seu centro geométrico é o maior do sistema solar.

Devido à grande excentricidade da órbita de Plutão, Netuno durante alguns anos se transforma no planeta mais distante do sistema solar.

Netuno tem oito luas conhecidas. Sete delas são pequenas e Tritão é relativamente grande nos padrões do sistema solar. Seis delas foram descobertas pela missão Voyager 2, Tritão foi descoberta em 1846 por Lassel e Nereida foi descoberta por Kuiper em 1949. Tritão, a maior e mais conhecida, tem atmosfera predominantemente composta de nitrogênio e metano, e apresenta "aurora" em sua alta atmosfera. Esse fenômeno é causado pela interação de partículas carregadas do cinturão de radiação do planeta com a atmosfera do satélite. Tritão possui ainda algumas características curiosas, como o movimento orbital retrógrado e "geysers" lançando material provavelmente rico em carbono, a 8km acima da superfície. Ao lado, uma imagem de Netuno e Triton.

A seguir, uma tabela com informações sobre os satélites de Netuno:

 

Satélite

Distância (x 1000 Km)

Raio (Km)

Massa (Kg)

NAIAD

48

29

?

THALASSA

50

40

?

DESPINA

53

74

?

GALATEA

62

79

?

LARISSA

74

96

?

PROTEUS

118

209

?

TRITÃO

355

1350

2,14E22

NEREIDA

5509

223

?

 

 


Leia mais sobre:

 

Netuno                              Sistema Solar